Um dos maiores problemas enfrentados pela humanidade atualmente é a falta de água potável. Desde 2015 a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheceu como direito universal o acesso à água e ao saneamento básico, desde então todas as nações deveriam trabalhar para alcançar esse direito à todos os cidadãos até 2030. 

Cerca de dois bilhões de pessoas não tem acesso à água potável.

Porém, em um relatório divulgado pela ONU em março de 2019 demonstrou que mais de dois bilhões de pessoas não têm acesso à água potável e mais de quatro bilhões não têm acesso à esgoto sanitário. A demanda por água tende a crescer com o aumento populacional, com o uso da água para a agricultura, pecuária e energia.

Com a crescente demanda, pode acarretar em riscos para a produção de grãos e conflitos, principalmente em países pobres, pela água. A água do mar representa 97% da água do planeta, de 3% da água doce que todo o planeta dispõe, cerca de 2% se encontra congelada nas calotas polares e nas geleiras, restando menos de 1% para nosso consumo.

Imagina um processo em que transformaríamos a água do mar em água potável?

Quantas pessoas poderíamos salvar?

Esse processo já existe e se chama dessalinização!

O que é?

Dessalinização é um processo físico-químico de retirada de sais da água, microorganismos e outras partículas sólidas presentes na água salgada e na água salobra, a transformando em água potável.

Existem três métodos para ser realizada a dessalinização: a destilação térmica, o congelamento ou a osmose reversa.

Destilação Térmica

A destilação térmica é parecida com o ciclo natural da chuva. Se aquece a água do mar, que atinge seu ponto de ebulição e passa para o estado de vapor, depois disso para um condensador onde é resfriada e retorna ao estado líquido. Essa água líquida é coletada em outro recipiente enquanto os sais e às partículas sólidas ficam retidas no recipiente original.

Congelamento

Como sabemos, o ponto de congelamento de uma substância pura é sempre menor que o de sua solução. Assim, quando a temperatura da água do mar diminui, o gelo que se forma na parte superior é composto somente de água pura, pois os sais presentes na água diminuem seu ponto de congelamento. É por isso que nos oceanos e mares forma-se uma camada de gelo na parte de cima composta somente por água doce e na parte de baixo fica a água líquida com os sais dissolvidos.

Osmose reversa/inversa

Já a osmose reversa ou inversa, como o nome já diz, faz o processo contrário ao fenômeno natural da osmose. Na natureza, a osmose é o deslocamento de um fluído através de uma membrana semipermeável, no sentido do meio menos concentrado para o mais concentrado. Na dessalinização, a água se encontra “concentrada” (água e sal) é a osmose reversa a transforma para a solução pura.

A osmose reversa exige um sistema de bombeamento capaz de exercer uma pressão superior à encontrada na natureza, para que possa ir contra o sentido natural do fluxo. A água salgada ou salobra (concentrado) se desloca no sentido do menos concentrado. A membrana semipermeável permite somente a passagem de líquidos, retendo partículas sólidas..

Porque não dessalinizamos a água do oceano e SALVAMOS o mundo?

Atualmente existem pelo menos 150 países que usam o método de dessalinização para seu abastecimento regular, por exemplo, países no Oriente Médio e do norte da África devido às regiões desérticas ou países que possuem dificuldades de abastecimento.

Israel, é líder no processo de dessalinização, onde cerca de 80% da água potável consumida pela população é proveniente do mar.

De acordo com a ONU, o maior problema está na inviabilidade de usar essa tecnologia em áreas mais pobres, principalmente se for o caso da utilização na agricultura ou se o local está muito distante da unidade de dessalinização. 

A agricultura representa o maior gasto de água potável no mundo.

O processo dessalinização da água e o seu bombeamento para uma região distante necessita de muita energia para operar, o que torna muito difícil e caro o processo em determinados locais.

Além do alto custo energético o processo geralmente utiliza energia fóssil como fonte, o que não é sustentável, além de ter alterações de preço e ser de difícil transporte. Outro ponto negativo da dessalinização são as águas residuais do processo e o impacto que podem causar nos ecossistemas marinhos ao serem despejadas diretamente no oceano. 

Segundo o relatório Key Issues in Seawater Desalination in California: Marine Impacts, a água residual concentra muito mais sal que a água natural do mar, e possui resíduos tóxicos que são utilizados durante o processo de dessalinização, como alguns aditivos químicos e metais pesados que podem causar a morte em animais marinhos. 

No caso da destilação térmica, ainda existe o problema da água descartada estar em uma temperatura muito superior à da água do mar.

O que podemos fazer então?

O que os cientistas já estão fazendo, que é estudar alternativas econômicas que reduzam o consumo de energia e minimizem impactos ambientais, como a energia solar, eólica e a geotérmica.
Com o uso dessas tecnologias renováveis a dessalinização poderia se tornar uma alternativa para questões relacionadas à escassez de água em todo o mundo, contribuindo para a melhoria na qualidade de vida de milhões de pessoas.

Fonte:

https://g1.globo.com/natureza/noticia/2019/03/18/falta-de-acesso-a-agua-afeta-bilhoes-e-provoca-aumento-de-conflitos-no-mundo-diz-relatorio-da-onu.ghtml

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/curiosidades/o-que-dessalinizacao-agua.htm

https://www.ecycle.com.br/2583-dessalinizacao-da-agua

https://brasilescola.uol.com.br/quimica/dessalinizacao-agua.htm

http://www.veoliawatertech.com/latam/pt/mercados/municipal/dessalinizacao/

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of