Cerca de 3.500 anos separam dois copos que estão em exposição em um museu em Londres.

Um deles é um descarte de papel da década de 1990. Pesquisadores acreditam que o outro, feito de barro, pode ter sido um copo de vinho antes de ser jogado fora depois de uma festa antiga na Ilha de Creta.

Copo de Minoan ao lado de um de papel de 1990.

Eles estão unidos, dizem os especialistas, por uma longa história de seres humanos produzindo itens destinados a serem descartados após um único uso.

“Assim como nós, eles não queriam lavar a louça”, disse a curadora Julia Farley sobre os minóicos que despejaram milhares de vasos de barro enquanto construíam uma civilização avançada da Idade do Bronze marcada por palácios, linguagem escrita e arte de luxo.

Os funcionários do Museu Britânico esperam que a exibição do copo deixe os visitantes pensando nas crescentes conseqüências da nossa dependência pelo descartável.

“De certa forma, mostra esse desejo universal de conveniência”, disse Farley. “Mas hoje estamos produzindo mais de 300 bilhões de copos de papel descartáveis ​​todos os anos como espécie. É tão completamente diferente em termos de escala.”

O copo de Minoan que recebe os visitantes da nova exposição foi recolhida de centenas de itens do acervo do Museu Britânico em reserva, disse Farley. 

Sem cabo, áspero e coberto pelas impressões digitais de quem o modelou em uma roda, parece ter sido feito com pressa, disse ela. Essa “falta de cuidado”, e a existência de tantos objetos semelhantes em grandes lixões perto de palácios, leva os pesquisadores a acreditarem que se destinava a apenas uma noite de bebida.

As xícaras eram provavelmente a maneira dos minóicos de simplificar a limpeza de festas que atraíam centenas ou milhares de convidados. Também servem como uma declaração de riqueza, dados os recursos necessários para produzir esses objetos em massa  para serem descartados depois. 

O copo de Minoan não é o utensílio mais antigo já registrado, mas ainda se destaca pelo fato do seu descarte.

O que podemos tirar disso?

Nós seres humanos, sempre produzimos lixo, e infelizmente sempre produziremos. É importante pensarmos e analisarmos como estamos agindo como espécie, para existirmos de maneira mais sustentável.

O copo de barro foi substituído pelo de plástico e atualmente estima-se que uma média de 10 milhões de toneladas de resíduos de plástico vão parar no mar todos os anos. O plástico causa enorme impacto no ecossistema marinho, sem contar que pode causar entupimentos de valas e bueiros, que geram enchentes e desabrigam pessoas, principalmente os moradores de periferias. A poluição visual também é outro malefício causado pelos resíduos plásticos. Leia mais sobre o plástico AQUI.

Aproveitando a temática da exposição o museu deseja disseminar a ideia de que devemos repensar nossos hábitos de consumo e reaproveitar o que já existe. Com isso, deram um comunicado que está tentando reduzir seu impacto no meio ambiente, reciclando ou queimando resíduos e convertendo-o em eletricidade. Mais de 90% dos materiais de exibição de sua nova exposição são reciclados de outra vitrine, acrescentou.

Traduzido/Adaptado:

https://www.sciencealert.com/this-3-500-year-old-disposable-cup-shows-that-in-some-ways-humans-change-very-little

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
juliana zanella Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
juliana zanella
Visitante
juliana zanella

Excelente matéria, isso pode cair no Enem.
Obrigada.