Dor de cabeça é um negócio que incomoda muita gente, não é? É aquela dorzinha chata que fica perturbando o dia, a noite e não passa de jeito nenhum.

Com certeza você já ouviu falar da enxaqueca! Essa vêm de forma muito mais forte que a dor de cabeça comum e é considerada um distúrbio!

Se sua cabeça doeu só de ler sobre, vem comigo que eu te explico melhor!

O que é a doença?

A enxaqueca, é um tipo de dor de cabeça (ou cefaleia) incapacitante que acomete pessoas geneticamente predispostas. Ou seja, há genes que aumentam a chance de uma pessoa apresentar esse distúrbio. 

Esse tipo de dor de cabeça pode ocorrer em qualquer idade, mas a sua manifestação é mais comum em adolescentes, adultos jovens e afeta mais as mulheres que os homens.

Em cerca de 15% dos casos, o quadro de dor é precedido (ou acompanhado) por uma aura que envolve sintomas visuais. A principal característica é a visão embaçada e/ou a presença de pontos luminosos, em zigue-zague ou manchas escuras nos períodos que precedem as crises dolorosas.

Para se ter ideia, a aura e os sintomas visuais se manifestam como o gif abaixo:

Uma pessoa que apresenta enxaqueca com aura também pode sentir as mãos e os braços adormecidos, podendo em alguns casos apresentar até um adormecimento na língua que dificulta a fala. Há casos de pacientes que chegam inclusive a perder a visão durante cerca de 30 minutos.

Esses sintomas visuais e sensitivos relacionados com a enxaqueca com aura são curtos. Eles indicam que existe alguma área do cérebro que está sendo prejudicada pela enxaqueca.

Causas da doença

É uma doença que não possui apenas uma causa, e algumas ainda continuam indefinidas. Porém, há um consenso entre os médicos que as enxaquecas ocorrem em pessoas cujo sistema nervoso é mais sensível do que os de outras pessoas. As células nervosas no cérebro são facilmente estimuladas, produzindo atividade elétrica no caso dessas pessoas.

Conforme a atividade elétrica se espalha pelo cérebro, várias funções, como visão, sensação, equilíbrio, coordenação muscular e fala, são temporariamente perturbadas. Esses distúrbios causam os sintomas que ocorrem antes da cefaleia (chamados de aura). A cefaleia ocorre quando o 5º nervo craniano (trigêmeo) é estimulado.

Este nervo envia impulsos (incluindo impulsos de dor) dos olhos, couro cabeludo, testa, pálpebras superiores, boca e mandíbula para o cérebro. Quando estimulados, os nervos podem liberar substâncias que causam inflamação dolorosa dos vasos sanguíneos do cérebro e as camadas de tecidos que cobrem o cérebro. A inflamação provoca cefaleia latejante, náuseas, vômitos e sensibilidade à luz e ao som.

Alguns gatilhos podem também desencadear as crises, tais como:

  • Jejum prolongado;
  • Estresse;
  • Insônia;
  • Consumo de açúcar,chocolate, queijos fortes, embutidos, café e bebidas alcoólicas em excesso;
  • Fumo;
  • Alterações hormonais;
  • Anticoncepcionais;
  • Alguns perfumes.

O tratamento

O tratamento irá levar em consideração as características da dor e a frequência das crises. A ideia é diminuir os sintomas e evitar a incidência de novas crises. Nas crises mais fortes, os analgésicos comuns podem ajudar contra a dor, especialmente se tomados assim que surgirem os primeiros sintomas. Pacientes que não respondem bem a esse esquema terapêutico (tratamento) podem recorrer aos triptanos, uma classe de drogas com mecanismo mais específico de ação.

PORÉM, CUIDADO! O uso muito repetido desses remédios, o abuso de analgésicos e o aumento das doses necessárias para alívio da dor podem resultar num efeito rebote! Isso faz com que na verdade agravem os sintomas.

Mudanças no estilo de vida e a busca para evitar os gatilhos que disparam as crises são procedimentos indispensáveis para a prevenção da enxaqueca. Assim como:

  • Alimentação equilibrada; 
  • sono regular; 
  • prática de exercícios físicos;
  • redução do consumo diário de cafeína;
  • controle dos níveis de estresse. 

O NOVO MEDICAMENTO!

Uma nova classe de medicamentos, descoberta nos Estados Unidos, para enxaqueca podem fazer uma grande diferença no tratamento.

 O Ubrogepant, faz parte dessa nova classe de medicamento, mas ainda não foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos.Porém, um ensaio clínico em larga escala sugere que esta pílula oral pode funcionar com segurança onde outros tratamentos não funcionam tão bem.

Duas horas depois de serem tomadas, os pesquisadores descobriram que o Ubrogepant pode parar uma enxaqueca severa. O novo medicamento apresenta um desempenho significativamente melhor que um placebo e com menos riscos do que outros medicamentos.

Não há novos tratamentos para enxaqueca aguda há muito tempo. De fato, o FDA aprovou recentemente recentemente uma nova classe de medicamentos, chamada Gepants. Esses medicamentos podem ajudar a parar dores de cabeça graves antes mesmo de começar.

Ao contrário dos triptanos, que têm como alvo a serotonina no cérebro, os gepants usam anticorpos para atingir uma molécula chamada peptídeo. Essa molécula é relacionada ao gene da calcitonina (CGRP) que é comum em pessoas que possuem enxaquecas.

Até agora, apenas três inibidores de CGRP foram aprovados pelo FDA e todos esses são injeções. Se o Ubrogepant for considerado seguro e eficaz o suficiente, será um dos primeiros Gepants orais que podem prevenir enxaquecas agudas.

Boas notícias para aquelas pessoas que sofrem com essas dores de cabeça severas! É você? Tem ou conhece alguém que possui enxaqueca? Compartilhe esse texto!!

Fonte:

https://medicoresponde.com.br/o-que-e-enxaqueca-com-aura-e-quais-os-sintomas/

https://www.msdmanuals.com/pt-br/casa/dist%C3%BArbios-cerebrais,-da-medula-espinal-e-dos-nervos/cefaleias/enxaquecas

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/enxaqueca/

https://www.sciencealert.com/a-promising-new-migraine-drug-just-passed-its-largest-clinical-trial-yet

2
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Elisa OrlandiDário Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Dário
Visitante
Dário

Esse remedio ja se encontra no mercado?

Elisa Orlandi
Admin

Olá, Dário!
Ainda não. Está em fase de testes.