Quantos de nós já não pensamos em voltar no tempo para reviver algum momento especial? Ou para corrigir aquela “besteira” na vida?

A viagem no tempo pode parecer assunto de filme de ficção, mas existe toda uma teoria entre físicos e pensadores que está por trás dessa ideia.

Mas, será mesmo que é possível viajar no tempo?

Se pararmos pra pensar, estamos viajando no tempo a todo instante, do passado pro presente e pro futuro. A pergunta mais correta seria: Podemos atravessar instantes do tempo? Voltar ao passado ou pular para o futuro? Como isso seria possível?

São muitas perguntas! 

A primeira pessoa a citar a possibilidade de uma viagem no tempo foi Albert Einstein. O que ele disse basicamente com a sua teoria geral da relatividade foi que o tempo passa de maneira diferente, dependendo do seu referencial. 

Albert Einstein foi a primeira pessoa a citar sobre viagem no tempo.

Por exemplo: quanto mais rápido você viaja, mais devagar o tempo passa para você, ou, pensando de outra forma, mais depressa o tempo passa para todo o resto do mundo. Chamamos isso de “dilatação do tempo, ou,  dilatação temporal”.

Einstein disse ainda que espaço e tempo são partes integradas de uma coisa só, o espaço-tempo, que funciona como um sistema de coordenadas (x,y,z,t), portanto, o tempo “t” seria a quarta dimensão.  Parece confuso, certo? Olha esse exemplo pra você entender melhor: 

Quando alguém nos pergunta a distância entre Brasília e Goiânia respondemos 4 horas. 

Isso não é estranho? Escolhemos automaticamente o tempo para explicar uma distância. 

Na verdade, o que queremos dizer é que a jornada leva “tanto tempo (4 horas) a uma velocidade média” de 80 quilômetros por hora.

OK.

Mas o que isso tem a ver?

Na verdade, TUDO.

Velocidade da luz

Se quiséssemos ir para o futuro só precisaríamos viajar em alta velocidade! Por exemplo: Plutão está localizado mais ou menos a 5 horas-luz da Terra, isso significa que a luz leva 5 horas para fazer o trajeto. Supondo que você viajasse até Plutão numa espaçonave que esteja voando a 80% da velocidade da luz, você levaria 6 horas e 15 minutos. 

Porém, para você, teriam se passado apenas 3 horas e 45 minutos. Se pensássemos na ida e na volta, ao todo, quando você desembarcasse, teria envelhecido apenas 7 horas e 30 minutos, enquanto todo mundo na Terra teria vivido mais de 16,77 horas. 

Se pararmos pra pensar, você teria viajado 9 horas no futuro!

Para viajar na velocidade da luz precisaríamos de energia e massa infinitas.

Existe um conceito que diz que quando viajamos à velocidade da luz, o tempo sofre uma dilatação e o espaço uma compressão. Daí que vem a expressão “dilatação temporal”.

Essa dilatação é percebida por referenciais diferentes. Por isso, sempre precisamos de um referencial. No referencial da pessoa que está viajando na espaçonave, o tempo passa de uma maneira. Já para a pessoa que está observando a nave, outra.

Então, podemos dizer que há dois referenciais a ser considerado: 

O referencial inercial (aquele que participa do movimento, nesse caso, a pessoa na nave) e o observador (aquele que não participar do movimento, só observa).

A dilatação do tempo pode ser calculado por:

Onde t0 é o tempo marcado pelo observador fora movimento e t o tempo marcado pelo observador em movimento (referencial inercial), V é a velocidade da nave e C a velocidade da luz.

Como isso aconteceria?

De acordo com a Teoria da Relatividade, nada poderia viajar mais rápido que a luz. Então, para viajar pro futuro só precisaríamos alcançar a velocidade da luz. 

Mas, na verdade, nada pode viajar na  mesma velocidade da luz, exceto ela mesma.

Isso acontece porque, quando você vai acelerando a sua massa aumenta, então é preciso ainda mais energia para que você continue acelerando. 

Se você atingisse a velocidade da luz, sua massa tenderia ao infinito (Tender ao infinito significa ganhar muita, mas muita massa, não que sua massa se tornaria infinita, apenas cresceria de uma maneira exagerada). Essa ideia, que hoje é estampa de várias camisetas, é descrita na famosa equação de Einstein:

E=m.c²

Sendo E é energia, m a massa e c a velocidade da luz, que viaja a 299 792 458 m/s, aproximadamente 3.108m/s, no vácuo.

A equação diz que, à velocidade da luz ou próxima dela, a massa se transformaria em energia. Inclusive, essa foi a ideia fundamental para a produção da bomba atômica. Portanto, uma moeda de 5g, poderia se transformar em 4,49.1014J de energia, ou 21 Megaton, o que corresponde à mesma energia da “little boy”, a bomba atômica utilizada em Hiroshima, na segunda guerra mundial. É claro que estamos supondo que todas as partículas do átomo da moeda deveria se transformar em energia para que ela liberasse essa energia. Isso, felizmente, não é possível, ainda. Imagine quanta energia você precisaria para viajar tão rápido quanto a luz!

Little Boy- Bomba atômica usada em Hiroshima. By US government DOD and/or DOE photograph – Copy from U.S. National Archives, RG 77-AEC. Chuck Hansen, The Swords of Armageddon: U.S. Nuclear Weapons Development Since 1945 (Sunnyvale, CA: Chukelea Publications, 1995)[1], Public Domain, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=91886

Por isso, você precisaria de energia “infinita” para ultrapassar a “barreira do tempo”!

Há ainda outro empecilho…

A luz só consegue viajar a essa velocidade porque os fótons, que são os constituintes da luz, não possuem massa, então não precisa se preocupar com a questão da sua massa tendendo ao infinito. Ou melhor, podemos dizer que o fóton é o resultado integral de energia.

E voltar no tempo?

Como poderíamos acelerar tanto que conseguiríamos chegar antes mesmo de termos partido?

Que pergunta ein? Já deu até um nó na cabeça.

Se precisamos de energia infinita, massa infinita e viajar na velocidade da luz para conseguirmos ir para o futuro, então, para o passado precisaríamos ultrapassar a velocidade da luz, mas, de acordo com Einstein, nada pode viajar mais rápido que a luz.

Além disso, existe um princípio chamado causalidade em que os efeitos devem sempre vir antes das causas. Então, para viajar ao passado, principalmente antes do seu nascimento, seria colocar o efeito (você) antes da causa (seu nascimento). 

Imagina voltar no tempo e topar consigo mesmo?

Stephen Hawking afirma em seu livro póstumo, Brief Answers to the Big Questions, que existe “algo” na natureza que “proíbe” as viagens ao passado, o que seria um “princípio de proteção cronológica” para que não acontecesse um paradoxo temporal, que seria alguma ação que é alterada no passado mudando o futuro completamente.

Porém, não sabemos ainda se esse princípio existe, então… Vai saber se não é possível viajar pro passado né? HAHA

Buracos de minhoca

O último tópico do nosso texto vai te lembrar de vários filmes, como: Interestelar, Star Trek, Vingadores, e outros. Os famosos buracos de minhoca seriam a forma mais “fácil” de viajar no tempo, pois não precisaria viajar na velocidade da luz ou além dela. Na teoria da relatividade o “espaço-tempo” se curva na presença de massa, o que iria permitir a existência de buracos de minhoca. 

Os buracos de minhoca seriam túneis que ligam duas partes muito distantes do universo através do espaço-tempo. Esses túneis possuem duas entradas, que ligam o buraco de minhoca, e entrar em uma delas faria com que o viajante saísse em um ponto diferente do universo.

Diagrama integrado de um buraco de minhoca de Schwarzschild.

Porém, se pensarmos que algum buraco de minhoca tenha se formado durante o Big Bang, seria possível viajar apenas para um número limitado de pontos no passado, isso significa também que não seria possível escolher em que ponto no tempo seríamos transportados.

Pensar em viagens ao passado e ao futuro sempre é interessante, o que mantém o mistério é que não existem provas suficientes para garantir que não é possível, o que nos deixa um pouco mais otimistas para acreditar que em algum dia o tempo nem fará mais sentido, e as viagens no tempo seriam possíveis.

FONTE: 

https://super.abril.com.br/historia/e-possivel-viajar-no-tempo/

https://socientifica.com.br/2018/12/15/viagem-no-tempo-e-possivel-mas-somente-se-voce-tiver-um-objeto-com-massa-infinita/

https://www.hipercultura.com/e-possivel-viajar-no-tempo/

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/11/viagem-no-tempo-pode-ser-possivel-diz-o-ultimo-livro-de-stephen-hawking.html

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of