Muitas pessoas não sabem, mas todos seres humanos são capazes de “ouvir” a temperatura – pelo menos a da água. Se você duvida então assista ao vídeo abaixo:

O apresentador Steve Mouldde mostra no vídeo a ideia ao despejar água em uma xícara, ocultando a tela, de modo que a presença de vapor não entregue a resposta.
Você deve ter notado que é surpreendentemente fácil distinguir qual das duas é quente ou fria. Isso, segundo dito no vídeo, ocorre porque nosso cérebro subconscientemente aprendeu a notar a diferença entre os dois sons por meio de todas as bebidas quentes e frias que ouvimos derramar ao longo de toda nossa vida.

Enquanto a maioria de nós sequer considerou a existência de variações, elas de fato existem. Trata-se da viscosidade ou espessura do líquido. Essa ideia, ele demonstra no vídeo com porções quentes e frias de mel. Neste caso, nota-se que o quanto mais quente, menor é a viscosidade do produto.
Já a água não tem essa mudança de espessura, mas podemos ouvi-la. De acordo com informações da Science Alert, isso ocorre basicamente porque as moléculas da água fria têm menos energia, e por isso são menos ativas, o que significa que se movem mais devagar, dando essa impressão de “peso” e um som de baixa frequência. A água quente, por outro lado, produz um som mais alto porque suas moléculas se movem mais rapidamente em relação.

Essa ideia é particularmente interessante porque a temperatura tem impacto em quase tudo, incluindo o interior de uma geladeira e até mesmo no aquecimento global, mas os cientistas ainda não estão nem perto de descobrir todos os segredos por trás desse fenômeno físico.

Artigo extraído e adaptado do site Engenhariae

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of