O Ministério da Saúde afirmou nesta quarta-feira (26/02) que está comprovado o caso positivo de coronavírus no Brasil. Trata-se de um homem que mora em São Paulo, tem 61 anos, e veio da Itália. 

Esse é o primeiro caso da doença no país e em toda a América Latina. Ainda existem outros 20 casos em investigação e 59 suspeitas já foram descartadas.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, o paciente com Covid-19 chegou ao país vindo da Itália. Ele não estava apresentando sintomas, e, depois de alguns dias, procurou um serviço de saúde com problemas respiratórios. Antes, ele havia participado de uma reunião familiar, o que levou o Ministério da Saúde a colocar 30 pessoas que tiveram contato com ele em observação.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, afirmou que ele é hipertenso e que por ter mais de 60 anos está entre os pacientes que apresentam maior risco, mas no caso dele específico, os sintomas são leves e a doença não evoluiu para um quadro mais grave.

O hospital Albert Einstein registrou a suspeita, fez um teste, que deu positivo. O caso foi encaminhado para o Instituto Adolfo Lutz para contraprova, o novo exame  foi concluído em três horas, comprovando a infecção por coronavírus. A média de conclusão do exame é de três dias, segundo Mandetta.

Passageiros não ficarão em quarentena

De acordo com o ministro Luiz Henrique Mandetta, os passageiros que estavam no avião com o paciente detectado com Covid-19 não serão postos em quarentena. Porém, alguns passageiros devem ficar em observação: à  partir da poltrona onde o paciente viajava, serão monitorados os passageiros dos lados e das duas fileiras à frente e atrás.

“Não existe quarentena, porque não existe eficácia nesse tipo de situação”, afirmou Mandetta. O passageiro veio no voo AF 454 da Air France, que deixou Paris em 20 de fevereiro e chegou ao aeroporto de Guarulhos em 21 de fevereiro. A companhia aérea informou ter sido notificada pela Anvisa.

Porque os repatriados de Wuhan ficaram de quarentena?

O ministro da Saúde esclareceu as diferenças entre os casos dos repatriados de Wuhan, que ficaram em quarentena em uma base militar em Goiás após chegarem da China, e o caso confirmado de Covid-19 em São Paulo, que está em quarentena familiar.

Sobre os repatriados, Mandetta disse que eles vieram de uma região epidêmica e iriam para diversas partes do país, o que poderia espalhar o vírus caso estivessem infectados.

Já o paciente de SP esteve em trânsito quando estava sem sintomas e já estava em casa quando apresentou os sintomas.

Brasileiros que têm chegado da China, relata terem recebido orientações sobre a doença após o desembarque nos aeroportos.

“Você levar este paciente para dentro de um ambiente hospitalar só aumenta as chances de outros pacientes, em estado debilitado, serem acometidos”, afirmou Mandetta.

Providências tomadas

Mandetta afirmou que não serão alterados procedimentos nos aeroportos ou bloqueios a países suspeitos, devido ao grande número de conexões nos voos. 

A recomendação é higiene, evitar aglomerações desnecessárias, cuidados de etiqueta respiratória. Segundo Mandetta, é possível que o número de casos suspeitos aumente no Brasil, porque aumentou o número de países com mortes.

Sobre a doença

O vírus é uma variação da família Coronavírus. Os primeiros coronavírus foram identificados em meados da década de 1960, de acordo com o Ministério da Saúde. Os coronavírus (CoV) são uma grande família viral, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais.

Os vírus dessa família são transmitidos pelo ar e infectam principalmente o trato respiratório e gastrointestinal superior de mamíferos e aves. Embora a maioria dos membros da família dos coronavírus causem apenas sintomas leves da gripe durante a infecção, o SARS-CoV e o MERS-CoV podem infectar as vias aéreas superiores e inferiores e causar doenças respiratórias graves e outras complicações em humanos. 

O novo vírus causou alarme por causa de sua semelhança com a SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que matou quase 650 pessoas na China continental e Hong Kong entre 2002-2003.

Cada pessoa infectada pode transmitir para duas ou três pessoas, em alguns casos chegando a sete. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o período de incubação varia de 0 a 14 dias, mas já há estudos apontam que os sintomas aparecem de 9 a 10 dias.

Um estudo feito com 44 mil pessoas com casos confirmados apontou que a maioria dos infectados tinha idade entre 40 e 69 anos. Destes, 1.023 morreram. Os quadros mais graves deste estudo apareceram em pessoas acima de 60 anos.

Dicas de Prevenção

  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
  • Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
  • Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
  • Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

As autoridades sanitárias orientam que os pacientes com os sintomas da doença procurem o serviço de saúde mais próximo, caso apresentem febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza. Sintomas associados a aspectos epidemiológicos como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou contato próximo a algum caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para coronavírus.

Para acompanhar esses casos suspeitos, o governo de São Paulo anunciou a criação de um centro de operações de emergência, que funcionará 24 horas por dia, controlando os registros do coronavírus em todo o estado.

Assista o nosso vídeo sobre o coronavírus e fique por dentro de tudo:

Fonte: 

https://www.sciencealert.com/here-s-why-the-who-hasn-t-declared-the-wuhan-virus-as-a-global-health-emergency

https://cienciaemacao.com.br/afinal-o-que-e-o-corona-virus/

https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2020/02/26/ministerio-da-saude-fala-sobre-caso-possivel-paciente-com-coronavirus.ghtml

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of