Instalado em Campinas, São Paulo, com previsão de entrega para o final de 2020, o Sirius, acelerador de partículas brasileiro será o mais moderno do mundo quando for inaugurado.

As obras devem custar no total R$ 1,8 bilhão. O governo brasileiro atualmente, vem repassando verbas lentamente para a construção do acelerador, mas, com investimento já realizado na casa dos R$ 1,3 bilhão, os primeiros testes já começaram a ser feitos em março desse ano (2019).

Quando estiver pronto, o Sirius será o mais avançado acelerador de partículas no mundo inteiro, sendo uma fonte de luz síncrotron, que tem alto brilho e permite o estudo na escala atômica de praticamente qualquer material. O que significa que ele será capaz de lidar com esse espectro de radiação, o que inclui raios-X, luz ultravioleta, infravermelha e outros mais. 

ACELERADOR DE PARTÍCULAS SIRIUS (FOTO: PROJETO SIRIUS/ CNPEM) Fonte: Revista Galileu

Diferentemente de aceleradores de modelo antigo como o Laboratório Nacional de Luz Síncroton (LNLS), que fazem a colisão de partículas, os síncrotrons usam os elétrons apenas como meio para obter esse tipo especial de radiação.

Sirius

O prédio em que o Sirius está situado tem 68 mil metros quadrados e  terá aceleradores de partículas capazes de analisar a estrutura atômica de materiais orgânicos e inorgânicos. O anel por onde os elétrons percorrerão a extensão de 500 metros será capaz de prover até 40 linhas de luz responsáveis pela análise das partículas. O interessante é que o acelerador foi construído com capacidade para permitir novas atualizações no futuro, o que irá prolongar a sua vida útil.

Com essa tecnologia será possível realizar a tomografia de células e vasculhar o DNA do interior de seu núcleo, em uma projeção realizada em três dimensões. O acelerador de partículas será capaz de ajudar em pesquisas que vão desde a busca por novos remédios contra o câncer até o desenvolvimento de materiais usados para extrair o petróleo do pré-sal.

O projeto do Sirius teve até agora cerca de 85% de seus recursos captados no país, em parceria com empresas nacionais. Foram estabelecidos contratos com mais de 300 empresas de pequeno, médio e grande porte, das quais 45 estão envolvidas diretamente em desenvolvimentos tecnológicos, em parceria com o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS)  Além disso, todo o projeto foi feito por brasileiros.

Que orgulho ein!?

O teste

Em novembro de 2018, aconteceu a inauguração da primeira etapa do projeto. Atualmente, dos três aceleradores do Sirius, os dois primeiros estão montados. No dia 08 de março de 2019, o primeiro feixe de elétrons circulou no nosso acelerador de partículas. O teste foi considerado um marco para a implantação da nova fonte de luz síncrotron brasileira, situada no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas. As partículas circularam pela primeira vez no booster, o segundo dos três aceleradores de elétrons que compõem o Sirius.

SEGUNDO ACELERADOR DE PARTÍCULAS DO SIRIUS COMPLETOU A PRIMEIRA VOLTA DE ELÉTRONS (FOTO: PROJETO SIRIUS/ CNPEM) Fonte: Revista Galileu

Em uma entrevista concedida à Revista Galileu, o diretor do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), Antônio José Roque, afirmou:

“O Sirius é um projeto estruturante no país porque ele impactará de forma decisiva em um conjunto de ações ou de áreas. Ele colocará o Brasil em um patamar de fronteira, e isso serve para a área acadêmica e também para empresas que desejam desenvolver seus produtos e processos. Durante sua construção, componentes tecnologicamente sofisticados precisaram ser desenvolvidos e conseguimos em grande parte envolver empresas nacionais. E há a questão cultural, de você ter a coragem de fazer a inovação de ponta e de que é possível fazer essas coisas no Brasil“.

INTERIOR DO PRÉDIO DO SIRIUS, CONSTRUÍDO EM CAMPINAS, INTERIOR DE SÃO PAULO (FOTO: PROJETO SIRIUS/ CNPEM) Fonte: Revista Galileu

Um país em desenvolvimento deve sempre investir no aprimoramento científico! E a construção do Sirius representa isso para no Brasil.

Fontes:

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/11/acelerador-de-particulas-sirius-e-inaugurado-em-cerimonia-oficial.html

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2019/04/apesar-de-cortes-obras-avancam-no-acelerador-de-particulas-sirius.html

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2019/04/apesar-de-cortes-obras-avancam-no-acelerador-de-particulas-sirius.html

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2019/06/tcc-de-universitario-aperfeicoa-o-sirius-acelerador-de-particulas-brasileiro.html

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of