Gás Nobre, se você quer DETONAR no ENEM e Vestibulares em química, coloides e dispersões é um assunto muito importante para você, então hoje, vamos trazer um post em colaboração com o professor Arilson Martino, que escreveu o livro Química, A Ciência Global. Vem reagir!

Quando misturamos duas ou mais substâncias, podemos obter como resultado sistemas homogêneos (soluções) ou heterogêneos. Esses sistemas são denominados dispersões, ou seja, possuem uma substância denominada disperso, disseminada em outra denominada dispersante.

Algumas são visivelmente homogêneas, como por exemplo, água e álcool etílico. Outras são visivelmente heterogêneas, como areia e água. No entanto, algumas dispersões que se situam em uma região de fronteira entre esses dois extremos. Tais sistemas são chamados de dispersões coloidais ou, simplesmente, colóides.

Dessa maneira, o critério de classificação das dispersões é o tamanho das partículas do disperso.

Nos coloides, as partículas não são visíveis a olho nu e podem ter muitos átomos, íons, moléculas ou serem apenas uma macromolécula (molécula muito, muito grande!).

Características dos Sistemas dispersos

Cada tipo de dispersão possui característica própria. Veja abaixo na tabela:

Tipos de Coloides

Os coloides são classificados de acordo com o estado de agregação do disperso e do dispersante, sendo que a fase dispersora é quem determina o estado físico do coloide. Veja na tabela os principais tipos de coloides.

Coloides Aquosos

As dispersões coloidais mais importantes são as aquosas, que podem ser classificadas em relação ao disperso em coloides hidrofílicos ou hidrofóbicos.

Hidrofílicos ou Liófilos

As partículas do disperse possuem grupos com afinidade pela água em sua superfície, os quais ajudam a manter a particular em suspenso. Os grupos hidrofílicos normalmente contêm átomos de oxigênio ou nitrogênio.

Os principais exemplos desse tipo de coloide são: dispersões de proteínas e amido presentes, respectivamente, em gelatinas e pudins. Esse tipo de coloide também é comum no organismo humano. Macromoléculas importantes como as enzimas, são mantidas em suspenso devido à interação com as moléculas de água do organismo.

Hidrofóbicos ou Liófobos

As partículas do disperso não possuem afinidade pela água. Os principais exemplos são as dispersões coloidais formadas por água e gordura como, por exemplo, leite e maionese.

A preparação desse tipo de coloide requer presença de substâncias estabilizadoras, como íons ou moléculas com grupos hidrofilicos, que devem ser adsorvidos pela superfície das partículas do colóide, permitindo, assim, interactes com a água. Essas substâncias são denominadas agentes emulsificantes e a ausência delas provoca a separação das fases do coloide.

E aí, Gás Nobre, gostou do post? Então já marca seus amigos que precisam aprender química ai nos comentários e venha reagir aqui no: https://cienciaemacao.com.br e aprender TUDO que você precisa em Química para detonar no ENEM e Vestibulares!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of