A fluorescência é uma das formas de converter energia elétrica em luz!

Componentes de um lâmpada fluorescente

As lâmpadas que se baseiam nesse princípio possuem quatro componentes básicos:

  • um tubo de vidro transparente;
  • dois eletrodos (um em cada ponta);
  • uma mistura de gases;
  • um material que reveste internamente o tubo.

Funcionamento da lâmpada fluorescente

Quando ligamos o interruptor, os eletrodos em formato de filamentos, geram uma corrente elétrica que, ao passar através da mistura gasosa de argônio e vapor de mercúrio – mantidos a baixa pressão-, emite radiação ultravioleta.

A luz UV é, então, absorvida pelo tungstato de magnésio ou pelo silicato de zinco, os materiais mais usados no revestimento interior do tubo. Essas substâncias têm a propriedade de transformar o comprimento de onda invisível do ultravioleta em luz visível, que é refletida para o ambiente.

Detalhes dos componentes da lâmpada fluorescente

Mercúrio (Hg): este metal é utilizado em forma de vapor na lâmpada fluorescente. Possui um papel importante: transformar a corrente elétrica em luz ultravioleta.

Argônio (Ag): é um gás nobre, mais pesado que o ar e inerte, ou seja, não reage. Sua função na lâmpada fluorescente é misturar-se com a vapor de mercúrio e preencher o tubo.

Silicato de Zinco: esses compostos químicos aparecem na forma de pó e revestem o interior do tubo da lâmpada. Absorvem a luz ultravioleta e a transformam em luz branca visível.

Porque a lâmpada fluorescente é mais econômica que a incandescente?

A lâmpada fluorescente é mais econômica que a incandescente, pois, aquecendo-se menos, dissipa menos energia em forma de calor. Sendo assim, chegam a ser até quatro vezes mais eficientes e econômicas

Texto extraído e adaptado do site mundo estranho.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of