Nos dias atuais vivemos na era dos polímeros!! Será que você já se deu conta disso?

Polímeros: os plásticos

Os plásticos, por exemplo, nada mais são que polímeros. E esses plásticos presentes a todo instante na nossa vida, são formados por moléculas enormes, chamadas de macromoléculas. Essas macromoléculas são formadas por várias moléculas menores, os monômeros, que se unem formando uma molécula maior (os polímeros) através de uma reação chamada de polimerização.

Tipos de reação de polimerização

Essa reação de polimerização pode ser de três tipos:

– Adição

– Condensação

– Rearranjo

Polímeros de adição

São formados por sucessivas adições de monômeros. Os monômeros apresentam pelo menos uma insaturação entre carbonos e todos os átomos do monômero são incluídos a cadeia do polímero.

Exemplos: Polietileno (PE), Policloreto de Vinila (PVC), Poliestireno(PS).

Polímeros de condensação

São formados, geralmente, pela reação entre dois monômeros diferentes, com a eliminação de moléculas pequenas como, por exemplo, a de água. Nesse tipo de polimerização não é necessário a presença de insaturações entre carbonos.

Exemplos: Poliéster (PET).

Polímeros de rearranjo

Nesse tipo de polimerização os monômeros sofrem um rearranjo em suas estruturas. O processo consiste em uma adição com transferência de pelo menos um átomo de um monômero para o outro monômero.

Nem todo polímero é plástico

Como nós vimos os polímeros são macromoléculas, sendo assim, possuem uma grande massa molecular entre 104 e 106 u. Mas não para por aí!! Os polímeros não necessariamente serão plásticos viu?

Na verdade o primeiro polímero puramente sintético surgiu somente em 1907. Sabe qual foi? A baquelite!! Um polímero de condensação que fez muito sucesso após sua descoberta e é utilizado na produção de discos musicais, cabos de panelas, telefones, tomadas, interruptores, câmeras fotográficas, peças de automóveis, produção de algumas ferramentas, dentre outros.

Mas antes dos sintéticos sempre existiram os polímeros naturais, como a celulose, o componente mais abundante da parede celular, o amido, um carboidrato presente em grandes quantidades nos vegetais, DNA, teia de aranha dentre vários outros.

Sendo assim, temos que os polímeros podem ser naturais ou sintéticos.

Polímeros: lixo

A utilização desses polímeros sintéticos, produz lixo! Esse é um grande problema enfrentado, pois a grande maioria dos plásticos não são biodegradáveis. Desta forma, a poluição do meio ambiente ocorre a longo prazo, uma vez que permanecem milhões de anos sob condições adversas sem se degradar.

Polímeros: termoplásticos

Mas alguns polímeros podem se tornar fluidos e moldáveis com a variação da temperatura (sofrem fusão) e por essa razão podem ser reciclados. Diminuindo assim, os efeitos desse lixo no meio ambiente. É o caso do PET, cuja reciclagem é feita através da hidrólise. Esses polímeros são classificados como termoplásticos.

Polímeros: termofixos

Acabamos de falar dos termoplásticos que são maleáveis, os mais rígidos são os termofixos. Esses polímeros apresentam elevada resistência química, suportando muito melhor o desgaste e a ruptura. Alguns podem resistir até a altíssimas temperaturas. Acredita que são usados para produzir coletes a prova de balas?? Até peças de avião!!

Química em Ação

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of