Hélio vem do grego helios e significa sol.

História do Hélio

Em 1868 o astrônomo francês Pierre-Jules-César Janssen foi à Índia para observar o eclipse total do Sol e assim realizar o primeiro estudo da cromosfera solar. Na ocasião, ele notou uma nova radiação amarela (linha espectral) que não coincidia exatamente com a linha amarela do sódio e que não podia ser reproduzida em laboratório com nada conhecido até então. Ao mesmo tempo, o astrônomo inglês Norman Lockyer, percebendo que a nova linha espectral não era do hidrogênio nem de nenhum outro elemento conhecido, atribuiu a mesma ao que seria o átomo de um novo elemento, que chamou de hélio. Por 25 anos o He foi considerado um elemento hipotético. Em 1895, quando William Ramsay tentava reestudar um trabalho recém-publicado e do qual discordava, estudou os gases produzidos pelo tratamento de uma amostra de cleveita com ácidos. A cleveita é um minério de urânio cujo nome foi dado em homenagem a Per Theodor Cleve. Um dos gases obtidos por Ramsay foi enviado a William Crookes e também a Lockyer, a fim de que identificasse espectroscopicamente. Lockyer imediatamente verificou tratar-se do hélio, cujas radiações haviam sido observadas na cromosfera solar. Ao mesmo tempo, na suíça, Per Cleve e seu aluno Nils Abraham Langlet também investigavam a cleveita e, independentemente, prepararam uma amostra que se mostrou mais pura do que a de Ramsay e identificaram-na espectroscopicamente. Ramsay, Lockyer, Cleve e Langlet são considerados os descobridores do He.

Propriedades do Hélio

O He é o único líquido que não se solidifica pela simples diminuição da temperatura, à pressão atmosférica ambiente. Não é tóxico, possui baixo peso e grande velocidade de difusão. É simbolizado pelas letras “He”. O hélio é um gás leve, incolor, pouco inflamável, inodoro e não reage com outros elementos para a formação de novos, visto que, é um gás nobre.

Número atômicoZ = 2
Massa molar4,0026 g/mol
Ponto de fusão-272,1 ºC (a 25,2 atm)
Ponto de ebulição-268,94 ºC

Presença na Natureza

Constitui 0,000001% da massa do planeta e 23% da massa do universo visível. O hélio pode ser retirado dos poços de petróleo por meio da destilação do gás líquido. Mas a maior parte desse gás é encontrado na terra como resultado do decaimento radioativo de urânio e outros materiais radioativos, como foi analisado durante a sua descoberta.

Ele pode ser encontrado em poucas quantidades nas erupções vulcânicas, em rochas, gases naturais e nas águas minerais. São encontrados depósitos naturais na Rússia, na Argélia e nos Estados Unidos.

Cerca de 23% de hélio encontra-se no sistema solar, e no sol é produzido por meio de reações nucleares do hidrogênio.

Aplicações do Hélio

O hélio pode ser utilizado como gás de refrigeração para reatores nucleares, para encher balões meteorológicos e dirigíveis e na pressurização de foguetes. É usado também como gás em cilindros de ar para equipamento de mergulho para grandes profundidades. Outra utilidade é durante a solda de metais como o alumínio para a geração de uma atmosfera gasosa inerte. Na medicina, ele pode ser utilizado na mistura com o oxigênio para tratar a asma. Quando está no estado líquido, o hélio abaixa a temperatura de determinados dispositivos eletrônicos.

Texto Extraído e Adaptado da revista Sbq e do site elementos químicos.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of