Nos últimos dias você deve ter ouvido falar algumas vezes sobre testes rápidos para Covid-19 e deve estar curioso para saber como eles funcionam. Então se liga, que nas próximas linhas eu vou te explicar o mecanismo de ação deles e a sua importância para o momento que estamos vivendo. 

Por que precisamos dos testes rápidos para Covid-19? 

Estamos passando por uma pandemia associada a um vírus da família coronavírus, o Covid-19. Essa família de vírus já nos preocupou antes. Lembra que em 2003 tivemos o surto de SARS? Foram 774 mortes. Nove anos depois tivemos um surto de MERS com 858 mortes, esses dois surtos foram causados por vírus da família coronavírus, que tem nos preocupados nos últimos dias. 

As medidas preventivas eu imagino que você já esteja por dentro, mas para reforçar veja a imagem abaixo que apresenta sete ações que precisamos ter, segundo a Organização Mundial da Saúde: 

Testes rápidos para Covid-19: como eles funcionam?

Além das medidas profiláticas, precisamos de testes para detecção do vírus e medicamentos para tratamento dos pacientes infectados. Os medicamentos ainda não existem, mas experimentos já estão sendo feitos com medicamentos já existentes ou novos na busca pela cura. 

Para diagnosticar o Covid-19 médicos baseiam-se nos sintomas, mas além disso podem utilizar os testes rápidos. Essa ferramenta de diagnóstico é que permitirá aos profissionais de saúde e órgãos públicos responsáveis ter uma panorama mais preciso da distribuição do vírus e da sua capacidade de disseminação. 

O teste rápido para Covid-19 já existe no Brasil e em outros países? 

A resposta é sim, Gás Nobre! 

Nos Estados Unidos, o Centro de Controle e prevenção de Doenças desenvolveu o teste rápido para Covid-19. Essa ferramenta de diagnóstico funciona da seguinte maneira: ela amplifica e detecta o material genético viral, que no caso do Covid-19 é do tipo RNA. 

No Brasil, segundo notícia publicada no site do Governo, já temos um total de 11 tipos de testes que podem ser utilizados no diagnóstico do novo vírus. Sendo que os últimos três tiveram seu uso aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária na última segunda-feira (23/03/2020). 

Como funcionam os testes rápidos para Covid-19? 

O teste, aprovado recentemente nos Estados Unidos, detecta apenas uma sequência específica de RNA que se encontra conservada no Covid-19 e ausente nos demais vírus da família coronavírus. E por isso é altamente eficiente na identificação de pessoas infectadas pelo Covid-19. 

Dois dos testes aprovados no Brasil essa semana apresentam esse mesmo mecanismo de funcionamento. Eles utilizam a técnica de PCR. Uma sequência específica de material genético viral, do Covid-19, é identificada e multiplicada, confirmando dessa forma a presença do vírus no corpo do paciente. Testes do tipo PCR são de alta precisão. 

O outro teste recentemente liberado no Brasil detecta anticorpos. E também apresenta um algo grau de confiabilidade. Cada vez que um organismo estranho entra em nosso corpo o sistema imunológico o reconhece e passa a produzir anticorpos. Os anticorpos  são proteínas que se ligam especificamente a um agente patogênico (organismo que causa doença). Isso quer dizer que o anticorpo que identifica o Covid-19 não se liga ao vírus que causa a gripe comum, por exemplo. 

Portanto, Gás Nobre, os dois tipos de testes são altamente confiáveis. O desafio agora, tanto no território norte americano, como no brasileiro é ter a quantidade necessária de testes para que todos os casos suspeitos possam ser analisados. 

Com o objetivo de ampliar a produção dos testes, o órgão que regula a atividade da indústria farmacêutica (FDA), nos Estados Unidos permitiu que diversos laboratórios produzam o teste rápido em questão. E no Brasil a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) está voltando seus esforços para a produção dos testes rápidos. Universidades públicas também tem contribuído, disponibilizando diversos laboratórios para a produção. 

Médicos do futuro, a situação é complexa e está desafiando a humanidade, mas saiba, que você, futuro profissional da saúde, pode aprender muito com ela. Já pensou em se tornar um epidemiologista ou infectologista? 

Lave bem as mãos, use álcool em gel quando necessário e leia este texto para entender o mecanismo de funcionamento dessas duas substâncias:  https://cienciaemacao.com.br/lavar-as-maos-coronavirus/

Referências:

https://singularityhub.com/2020/03/18/on-the-front-lines-of-developing-a-test-for-the-coronavirus/

https://www.gov.br/pt-br/noticias/saude-e-vigilancia-sanitaria/2020/03/anvisa-aprova-tres-novos-testes-para-covid-19

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of